No momento você está vendo O Hábito de Reclamar: Impactos na Saúde Mental e Física e Como Combatê-lo

O Hábito de Reclamar: Impactos na Saúde Mental e Física e Como Combatê-lo

Reclamação e Saúde Mental

Reclamação e Saúde Mental: O hábito de reclamar não é saudável para a saúde mental e física, e pode levar as pessoas a afastarem-se de amigos e familiares, perdendo oportunidades de formar novos vínculos afetivos devido à sua negatividade.

A reclamação é um comportamento complexo motivado por diversos fatores, não apenas pelo desejo de expressão pessoal. O estresse diário, a raiva decorrente de conflitos e a indignação diante de injustiças impulsionam a reclamação. No entanto, uma vez que o sentimento negativo é expressado, ele tende a perder força e o evento deixa de incomodar.

Outros fatores também estão envolvidos no ato de reclamar, como a personalidade. Algumas pessoas se sentem à vontade para reclamar sobre quase tudo, enquanto outras guardam seus sentimentos para si.

Da mesma forma, pessoas que têm o hábito de reclamar frequentemente tendem a ser controladoras. Quando percebem que não têm tanto controle quanto desejariam, elas reclamam. Sentem-se injustiçadas e expressam sua insatisfação em relação a determinados eventos ou indivíduos.

Reclamar é uma forma bastante humana de expressão, e em pequenas doses não há nada de errado em desabafar desconfortos. No entanto, esse hábito se torna problemático quando se torna recorrente.

Os reclamões crônicos parecem nunca estar completamente satisfeitos e encontram motivos para se irritar. Eles se incomodam com coisas insignificantes, apontando erros e defeitos com indignação.

Além disso, são aquelas pessoas que “jogam um balde de água fria” nas ideias dos outros, interferindo em seu entusiasmo. Com o tempo, amigos, familiares e conhecidos se afastam desses reclamões crônicos devido ao seu pessimismo constante.

Reclamação e Saúde Mental

Como a reclamação afeta a saúde mental?

Pessoas felizes reclamam menos, pois expressam sua indignação apenas quando realmente necessário.

Um artigo no Psychology Today afirma que pessoas contentes reclamam com um objetivo específico em mente, ou seja, quando sabem que suas palavras podem estimular uma mudança. Se percebem que reclamar não será útil em determinada situação, elas ajustam sua estratégia para a ação.

Os reclamões crônicos não possuem essa mentalidade. Eles simplesmente desejam expressar os sentimentos negativos que estão presos em seu interior. Não refletem sobre o hábito de reclamar, portanto, não percebem que apenas falar não fará com que a fonte de sua insatisfação desapareça.

Reclamar em excesso afeta negativamente a saúde mental das seguintes maneiras:

Aumenta os níveis de cortisol no organismo: cada reclamação eleva os níveis do hormônio do estresse. Níveis elevados de cortisol podem levar a problemas graves, como hipertensão, insônia, AVC e ataques cardíacos. Além disso, causam uma sensação constante de desconforto.

Prejudica a memória: estudos revelam que reclamar em excesso afeta o hipocampo, região do cérebro conhecida como “sede da memória”. Como resultado, aqueles que reclamam muito podem começar a ter dificuldades para se lembrar de eventos.

Estimula pensamentos negativos: o hábito de reclamar leva a um viés negativo, fazendo com que a pessoa veja apenas o lado negativo de cada situação e pessoa. Cada vez que se reclama, o cérebro se ajusta para acomodar essa ação, facilitando sua reincidência. Portanto, os pensamentos negativos originados pela reclamação tendem a crescer a cada nova expressão desnecessária de insatisfação.

reclamação afeta a saúde física

Causa fadiga no corpo: o aumento do estresse, a falta de sono causada pela insônia e o desânimo proveniente dos pensamentos negativos também afetam a saúde física. Aqueles que reclamam em excesso sentem-se fatigados mais rapidamente. O cansaço é constante e interfere no aproveitamento diário.

Reduz a autoestima: o hábito de reclamar coloca a pessoa em uma posição desfavorável consigo mesma. Em vez de pensar em maneiras de melhorar a situação e, consequentemente, as emoções desagradáveis associadas a ela, a pessoa fica estagnada. A sensação de incapacidade de resolver problemas (de acordo com sua própria perspectiva) aumenta o sentimento de aversão por si mesma. Por que não consegue resolver algo tão simples? Será que ela é o problema?

A reclamação pode ser um sinal de problema psicológico?

Além dos fatores mencionados, a reclamação pode indicar a existência de um problema psicológico. Reclamações constantes, pessimismo, pensamentos negativos e falta de autoestima também são sintomas de depressão e ansiedade.

Outra condição associada a estados de humor alterados, propensos à reclamação, é a ciclotimia. Semelhante ao transtorno bipolar, consiste em oscilações de humor, alternando entre depressão, hipomania (bom humor anormal e euforia) e distimia (mau humor e irritabilidade).

Embora a intensidade das mudanças de humor seja diferente do transtorno bipolar, elas ainda afetam o dia a dia da pessoa. A reclamação é um sintoma comum nas fases depressivas e distímicas.

Como diferenciar o hábito de reclamar de um sintoma de uma condição psicológica não é simples, é recomendado buscar um psicólogo para uma avaliação completa e conhecer as opções de tratamento.

Como combater o hábito de reclamar?

Psicólogos afirmam que é necessário substituir o hábito de reclamar por comportamentos mais saudáveis ou ressignificá-lo para eliminá-lo. Esse processo não é fácil e envolve mudanças comportamentais e padrões de pensamento.

O reclamão crônico precisa compreender que a reclamação não é útil. Reclamar não traz felicidade nem ajuda a resolver problemas. O entendimento dos motivadores por trás do hábito de reclamar abre caminho para a redução e eliminação dele.

Aqui estão algumas estratégias para combater esse hábito prejudicial à saúde mental:

Pense antes de reclamar: quando sentir vontade de reclamar ou após reclamar inconscientemente, reflita sobre o propósito por trás dessa reclamação. A reclamação ajudará na situação? Fará você se sentir mais feliz ou preservará seu bem-estar? Reduzirá o humor das pessoas ao seu redor? Essas questões devem ser consideradas sempre que surgir a vontade de reclamar. No início, pode ser difícil controlar o impulso de reclamar, mas com a prática, será cada vez mais fácil refletir sobre a necessidade de reclamar antes que as palavras saiam.

Escolha formas mais saudáveis de expressar insatisfação: troque o hábito de reclamar por outras formas mais positivas de lidar com situações desagradáveis. Tomar uma atitude em relação ao que está incomodando é uma opção. No entanto, nem sempre temos o poder de mudar os eventos. Nessas situações, é melhor focar em algo mais positivo e temporariamente esquecer o problema. Outra maneira de mudar a perspectiva sobre um evento ou pessoa específica é buscar os aspectos positivos ocultos nelas.

Pare de Reclamar

Pratique a gratidão diariamente: a gratidão tem o efeito oposto da reclamação. Ela eleva o humor, reduz a produção excessiva de cortisol, aumenta a felicidade e fortalece os relacionamentos. Ao agradecer pelas coisas boas em sua vida, sua mentalidade e autoimagem passam por uma transformação. Portanto, faça uma lista diária de pelo menos cinco coisas pelas quais você é grato. Avalie como se sente após esse exercício diário de gratidão e questione-se sobre como prefere encarar a vida: reclamando ou sendo grato.

Compreenda que nem sempre é possível controlar todas as situações: pessoas controladoras têm dificuldade em aceitar que não têm o poder de controlar todos os eventos e pessoas ao seu redor. O controle não está apenas relacionado à necessidade de saber tudo ou evitar surpresas. Essa postura controladora pode ser resultado de experiências negativas durante a infância e adolescência, que afetaram a autoimagem da pessoa. Para descobrir as motivações do controle e, consequentemente, das reclamações, é recomendável procurar ajuda psicológica. Somente ao trabalhar os sentimentos e as lembranças associadas a essa necessidade irracional de controle será possível abandoná-la.

Aja em vez de reclamar: em vez de reclamar, tome uma atitude! Avalie a situação por diferentes perspectivas e reflita sobre como você pode contribuir para a sua solução ou melhoria. Não fique à mercê de emoções que preenchem sua mente com reclamações inúteis. Livre-se delas através da ação. É muito melhor agir do que esperar que alguém ou algo alivie seu sofrimento. Você pode não ter sucesso em todas as suas ações, mas pelo menos estará fazendo algo produtivo.

É importante ressaltar que combater o hábito de reclamar requer esforço contínuo e autodisciplina. Mudar padrões de pensamento e comportamento não acontece da noite para o dia, mas com determinação e prática, é possível reduzir e eliminar a reclamação crônica, promovendo uma maior saúde mental e bem-estar.

Procure um Profissional para lhe ajudar!

Um hipnoterapeuta é um profissional que utiliza a hipnose como ferramenta terapêutica para ajudar as pessoas a promover mudanças positivas em suas vidas. No caso do hábito de reclamar, um hipnoterapeuta pode desempenhar um papel importante na ajuda de alguém a transformar esse comportamento negativo.

Através da hipnose, o hipnoterapeuta pode trabalhar diretamente com o “subconsciente” da pessoa, que é onde os padrões de pensamento e comportamento estão enraizados. Durante uma sessão de hipnoterapia, o hipnoterapeuta pode induzir um estado de relaxamento profundo, no qual a “mente subconsciente” fica mais receptiva à sugestão e “reprogramação”.

O hipnoterapeuta pode direcionar a pessoa a reconhecer os padrões de reclamação e compreender as razões subjacentes por trás desse comportamento. Através de sugestões positivas e reestruturação cognitiva, o hipnoterapeuta pode ajudar a pessoa a desenvolver uma nova perspectiva, substituindo a reclamação por pensamentos mais positivos e construtivos.

Além disso, o hipnoterapeuta pode explorar as emoções e crenças relacionadas à reclamação, ajudando a pessoa a identificar e trabalhar com eventuais traumas, medos ou inseguranças que possam estar contribuindo para o hábito de reclamar. Esse processo terapêutico permite a transformação interna e a adoção de novos padrões mentais e comportamentais mais saudáveis.

É importante ressaltar que cada indivíduo é único e os resultados da hipnoterapia podem variar. É fundamental procurar um hipnoterapeuta qualificado e experiente, garantindo assim uma abordagem terapêutica segura e eficaz.

Com o apoio de um hipnoterapeuta, é possível superar o hábito de reclamar, promovendo uma mudança profunda na maneira como pensamos, nos expressamos e nos relacionamos com o mundo ao nosso redor. Essa abordagem pode trazer benefícios significativos para a saúde mental e emocional, permitindo que a pessoa adote uma postura mais positiva e construtiva na vida cotidiana.

Hits: 33